Deus de batom!


Dois casais. 

Um assunto. 

O casamento. 

Uma faísca de Deus

Vocês sabiam que antigamente, bem antes de nossos pais, antes de D. Pedro, antes de Constantino, antes de Cristo, antes de Sócrates… lá pelos primeiros tempos bíblicos, entre Adão e Abraão, os homens primitivos relacionavam a imagem de seu rei com a imagem dos deuses que acreditavam.

Diziam que se você quisesse ver como era deus, bastava olhar para o rei do deus.

Um famoso rei egípcio serve como bom exemplo do que estou falando.

Tutancâmon. Esse nome se traduz por “a imagem viva [do deus] Amon.

Enfim, o rei era visto como a encarnação de determinado deus na terra.

Pow!

Mas ai já é demais, né.

Muito poder para um só homem.

Os demais eram apenas súditos ou escravos.

Talvez o problema fosse a falta de um bom espelho.

Pois se tivessem um, saberiam de cara que eram todos iguais: penas, braços, cabeça, olhos, ouvidos e boca – todo corpo!

Então Deus [o Eterno], resolveu interferir na história.

Tomou emprestado um termo hebraico “tselem”, que significa imagem e tem um sentido cultural específico.

Dai disse que começou criando o mundo e as pessoas “à sua própria imagem”.

E qualquer coisa que fosse anti-humana, seria antagônica a Deus.

“Criou a humanidade à sua própria imagem e os fez homens e mulheres.”

Quero dizer que existe uma coisa diferente nos humanos.

Não somos Deus.

Não nos tornaremos Deus.

Mas de maneira intencional Deus foi depositado em nós.

Refletimos o que e quem é Deus.

Uma centelha divina reside em cada ser humano separadamente.

“Deus de batom”

Bem…

Já que você falou que todos nós refletimos a imagem de Deus, eu diria que então, nós mulheres, precisamos ser mais valorizadas.

Quero dizer: 

Se um rei não podia ser mais que seu próprio povo, um homem também não será mais que sua própria esposa – como muitos ainda pensam.

Ah! E como gostei disso!

Eu até poderia dizer que uma esposa teria que ser vista como:

“Deus de batom!”

Que tal?

Gostaram?

Pois as mulheres deixariam de ser tratadas como coisas que, com o tempo, perdem seu valor.

“Deus de batom”, são mulheres, que foram, enquanto pequenas, consideradas por todos como filhas, para depois serem esposas, mães e também grandes companheiras, conselheiras.

Que lutam de mãos dadas numa causa comum, não individual, nem somente para o outro.

Ainda diria que melhor maneira que temos para refletir a imagem de Deus [o SENHOR], por que é disso que se trata o casamento, é honrando a própria esposa. Considerando que nela existe uma centelha divina.

Um marido deve respeitar sua própria esposa como se respeitasse a “Deus de batom”.

“Deus de cabelos e barba feita”

Sim!

Então irei continuar com a mesma ideia.

Quero até arriscar numa nova imagem de Deus. Ainda que seja apenas um leve reflexo.

Ao invés da velha idéia de um Deus de longos cabelos e barba branca, homens também deverão ser vistos como:

“Deus de cabelos e barba feita”.

[Apesar da moda ser cabelos e barbas “à deus dará”]

Que tal?

Eu também gostei disso.

E vocês?

Agora o marido não poderá mais ser visto como responsável e, consequentemente, culpado por tudo o que acontece de certo ou errado.

Ele não é superior às mulheres, muito menos à sua esposa.

Porque agora, não ele só reflete a imagem de Deus, mas também sua própria esposa.

O dois se tornam parceiros em todas as coisas.

Na criatividade.

No trabalho.

No cuidado da casa.

Na educação dos filhos.

E por fim, na cooperação com Deus para arrancarem juntos o caos e criarem o céu na terra.

Logo, o que Jesus disse:

“Venha o teu reino e seja feita a tua vontade aqui na terra como também é feita no céu…”

Me parece possível a partir da ótica de que os dois, marido e mulher, são um só.

São iguais.

Ninguém melhor ou maior.

São unidade composta e indivisível.

Semelhantes a comunidade celestial.

O Pai, o Filho e o Espírito Santo.

“Deus de batom. Deus de cabelos e barba feita. Deus em nós e através de nós”

Isso só pode terminar numa grande festa.

A narrativa bíblica remete que nos finais dos tempos nós nos sentaremos à mesa com Deus.

Ele, o SENHOR, já arrumou um banquete para nós.

O convite foi feito.

O valor da festa foi pago por Jesus.

Existe uma mesa posta.

Existe um cadeira com o meu nome.

Existe uma cadeira com o nome de cada um de nós.

E enquanto esse grande dia não chega, foi ensinado que devemos ensaiar essa festa sempre que estivermos juntos. 

Uma verdadeira profecia.

Hoje é o dia oportuno.

É um dia de festa de casamento.

Como o de Cristo com a igreja, sua noiva.

Nós vamos comer e beber em memória de Cristo.

Em memória de seu sacrifício por nos fazer dignos de entrarmos no mundo de Deus como filhos.

De podermos refletir, como casais, a imagem Cristo.

A imagem de uma só pessoa no casamento, não mais duas.

A imagem de Deus em nós!

De batom.

De barba.

Sem barba.

De bigode ou sem bigode.

De chapéu.

De saia.

De cabelos longos ou curtos.

Em diversidade e multi formas.

Onde nós nos tornamos um, assim como Deus é um só – em Cristo e também pelo Espírito Santo.

Somente assim a imagem de Deus será vista pelo mundo…

E saberão que nós somos um só.

 

Boas ondas,

Tropical

 

 

Etiquetas:, , , , ,

One Comment em “Deus de batom!”

  1. Samuel 19 de Dezembro de 2014 às 10:23 #

    Amei e fui profundamente tocado por Deus através dessas palavras.Deus lhe abençoe irmão

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Coletivo TraçaUrbana

o c o r p o e n t r e d o t e c i d o u r b a n o

De volta ao Manual

Pensamentos sobre o amor de Deus na vida cotidiana

projetosilva

Ukulele e Voz ,Letras Simples e Pensamentos Sinceros...

Don Charisma

because anything is possible with Charisma

Do Pensamento no Deserto

CRÔNICAS, ARTIGOS, ENTREVISTAS E IDÉIAS DE LUIZ FELIPE PONDÉ

Nelson Costa Jr.

" Ceci Est Un Dieu "

Marco Juric

Fotografia

Teologia Hermenêutica

Sobre os equívocos, exageros, métodos e possibilidades de interpretação teológica no pensamento cristão.

TROPICAL - AIRO

espiritualidade

Sandro Baggio

Trilhando o estreito caminho entre o cinismo e a ingenuidade.

A Bacia das Almas

Onde as ideias não descansam

espiritualidade

drnerium

Just another WordPress.com site

Uma pausa para o café.

Porque precisamos de uma pausa.

jonasmadureiradotcom.wordpress.com/

"Quebre os grilhões da cela, mas não se assuste se o prisioneiro não sair, talvez a cela seja absurdamente confortável."

Reino & Sacerdote

Trabalhando para que a Igreja cresça e que o Reino avance!!! Ap 1.5,6

%d bloggers like this: