Ke11y


Por Ader Oliveira em 02/11/11 18:28 GMT-03:00

Depois de muita expectativa, o norte-americano Kelly Slater conquistou seu 11o título mundial com uma bela atuação na terceira fase do Rip Curl Pro Search em Ocean Beach, San Francisco (EUA).

O surfista da Flórida precisava passar apenas duas baterias na Califórnia e não decepcionou a galera.

Em duelo emocionante, eliminou o australiano Daniel Ross nesta quarta-feira e mais uma vez foi ovacionado pela plateia, desta vez como hendecacampeão mundial.

Com fortes rasgadas e ataques à junção, Daniel tentou complicar Slater e saiu na frente com 7.70, ampliando vantagem com 6.70.

Porém, Kelly reagiu com um tubo avaliado em 6.00 pontos e reagiu ao acertar duas pancadas de backside premiadas em 7.53.

Para fechar com chave de ouro e virar o duelo, achou uma longa direita, mandou duas fortes rasgadas e trabalhou bem a onda até o inside para descolar 7.60.

“O décimo título mundial parecia mais difícil e me fez sentir como uma viagem de dois anos. Na verdade, senti como se fosse uma jornada de 20 anos para chegar ao décimo. Este ano, o que feito, eu poderia atribuir ao passado. E havia perguntas sobre o décimo-primeiro, mas isso não simbolizou o que o décimo significou para as pessoas. Este ano foi um um pouco menos afastado dos holofotes e eu senti como se estivesse começado revigorado”, afirma o atleta.

“Parte disso é que as pessoas sempre falam da minha idade e você sabe que eu tenho 39, quase 40, e para mim isso é literalmente apenas um número. Você pode provar às pessoas erradas e ficar super saudável. Eu não vejo por que aos 50 eu não estar em melhor forma do que estou agora. Eu me alimento bem, falo sobre isso, ando a pé e mostro isso na minha hábil e fisicamente”, diz o 11 vezes campeão mundial.

OCEAN BEACH, San Francisco / California (quarta-feira, 2 de novembro, 2011) – Kelly Slater (EUA), 39, afirmou um título mundial histórica 11 ª ASP hoje, conquistar a busca year-long com seu avanço fora do Round 3 no Rip Curl Pro Search San Francisco.

Em pé de três a cinco pristine (1 – 1,5 metros) picos em Ocean Beach, Slater lutou de volta para um começo inspirado oponente Dan Ross (AUS), 28, para reivindicar a vitória nos últimos momentos na frente de uma multidão de capacidade em Ocean Beach.

“Foi uma bateria disputada, nada fácil”, disse Slater. “Tive um monte de baterias contra o Rossy este ano e ele é realmente perigoso. Eu estava caçando as esquerdas e elas foram desaparecendo. Então, eu sabia que teria que pegar algumas direitas”, disse o campeão.

Nesta temporada, Slater já fez cinco de nove finais, com três vitórias. “Isso é fabuloso”, explicou Slater à imprensa internacional. “Estava muito estressado com a pressão e estou feliz que isso acabou. Vencer novamente é muito gratificante, é uma sensação muito legal. Dediquei minha vida ao surf e passar o ano competindo e ganhar um título mundial é realmente gratificante. E ganhar em solo americano é bom. Foi um momento especial. Alguém está olhando por nós, provavelmente, Andy (Irons)”, comentou referindo-se ao havaiano tricampeão mundial falecido exatamente há um ano.

“Isso é meio estranho e eu estive pensando sobre um monte de coisas, como as chances que eu tinha de ganhar o título no aniversário do falecimento de Andy, o que torna essa conquista mais especial. Desta maneira, eu comemoro minhas memórias pensando nele. Isso fica na minha mente e eu escrevi uma história sobre ele outro dia. É um tempo para olhar para trás. ”

Com o título da temporada definido, Slater agora está focado para vencer o Rip Curl Pro Search San Francisco.

“Estou me reorientando para conseguir mais uma vitória aqui. Realizei o objetivo anos e definitivamente sinto que posso ficar muito mais relaxado agora. É muito bom vencer aqui, nestas condições, com tanta gente na praia”, explicou.

Com 39 anos, Slater, o mais velho e mais novo campeão mundial da ASP, desconversa quando o assunto é aposentadoria.

“Eu me sinto como se eu estivesse ao nível mais alto da minha carreira e penso que posso continuar. Não pensei muito sobre isso, mas planejo um final de temporada relaxante e quero curtir o Hawaii. Vamos ver o que 2012 traz para a mesa”, encerrou.

Etiquetas:, ,

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Coletivo TraçaUrbana

o c o r p o e n t r e d o t e c i d o u r b a n o

De volta ao Manual

Pensamentos sobre o amor de Deus na vida cotidiana

projetosilva

Ukulele e Voz ,Letras Simples e Pensamentos Sinceros...

Don Charisma

because anything is possible with Charisma

Do Pensamento no Deserto

CRÔNICAS, ARTIGOS, ENTREVISTAS E IDÉIAS DE LUIZ FELIPE PONDÉ

Nelson Costa Jr.

" Ceci Est Un Dieu "

Marco Juric

Fotografia

Teologia Hermenêutica

Sobre os equívocos, exageros, métodos e possibilidades de interpretação teológica no pensamento cristão.

TROPICAL - AIRO

espiritualidade

Sandro Baggio

Trilhando o estreito caminho entre o cinismo e a ingenuidade.

A Bacia das Almas

Onde as ideias não descansam

espiritualidade

drnerium

Just another WordPress.com site

Uma pausa para o café.

Porque precisamos de uma pausa.

jonasmadureiradotcom.wordpress.com/

"Quebre os grilhões da cela, mas não se assuste se o prisioneiro não sair, talvez a cela seja absurdamente confortável."

Reino & Sacerdote

Trabalhando para que a Igreja cresça e que o Reino avance!!! Ap 1.5,6

%d bloggers like this: