Tá cheio de gente importante…


Foi ele quem “deu dons às pessoas”. Ele escolheu alguns para serem apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e ainda outros para pastores e mestres da Igreja. Ele fez isso para preparar o povo de Deus para o serviço cristão, a fim de construir o corpo de Cristo. (EF4.11-12)

Desde que me conheço por gente percebo que existem dons que são super valorizados (exemplo: profeta), enquanto outros nem chegam a ser reconhecidos (exemplo: mestre – geralmente tido como alguém que precisa de avivamento), dentre as inúmeras comunidades eclesiásticas. Na prática funciona mais ou menos assim, se não tem “palavra do conhecimento”, não ora em línguas estranhas, não transita no poder da cura milagrosa, não se exalta em grandes emoções enquanto prega, ou ainda nem mesmo tem na aparência um olhar mais cerrado, como quem enxerga anjos, esse tal “não prega em minha igreja”. Não importam suas obras, se sua vida é piedosa, se conhece bem a Palavra de Deus ou exercita a santificação. O que vale mesmo é se consegue fazer chover, ou se cura a dor de cabeça do trabalhador cansado.

Creio nos sinais e em todos os dons que servem para preparar o povo de Deus. Também creio que eles são diferentes em operação, não na finalidade – nos levar de crianças para altura espiritual de Cristo, por meio do amor. Não creio que estão dispostos como hierarquia de importância e, nesse caso pode pesquisar o texto original [grego] para tirar a prova. Porém entendo que a vocação de cada um não faz que ninguém seja melhor ou maior que qualquer outro – exemplo: o pastor não é maior que o mestre, como também o evangelista não é menor que o profeta. Creio que se fomos vocacionados por Deus, fomos feitos servos de todos.

Os apóstolos tiveram uma forte discussão sobre qual deles deveria ser considerado o mais importante. Então Jesus disse: – Os reis deste mundo têm poder sobre o povo, e os governadores são chamados de “Amigos do Povo”. Mas entre vocês não pode ser assim. Pelo contrário, o mais importante deve ser como o menos importante; e o que manda deve ser como o que é mandado. Quem é o mais importante? É o que está sentado à mesa para comer ou é o que está servindo? Claro que é o que está sentado à mesa. Mas entre vocês eu sou como aquele que serve. (LC22.24-27)

cada um considere os outros superiores a si mesmo…

A todos nós pertencem somente os erros. Quando acertamos, podem crer, é obra do Espírito Santo.

Tropical

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Coletivo TraçaUrbana

o c o r p o e n t r e d o t e c i d o u r b a n o

De volta ao Manual

Pensamentos sobre o amor de Deus na vida cotidiana

projetosilva

Ukulele e Voz ,Letras Simples e Pensamentos Sinceros...

Don Charisma

because anything is possible with Charisma

Do Pensamento no Deserto

CRÔNICAS, ARTIGOS, ENTREVISTAS E IDÉIAS DE LUIZ FELIPE PONDÉ

Nelson Costa Jr.

" Ceci Est Un Dieu "

Marco Juric

Fotografia

Teologia Hermenêutica

Sobre os equívocos, exageros, métodos e possibilidades de interpretação teológica no pensamento cristão.

TROPICAL - AIRO

espiritualidade

Sandro Baggio

Trilhando o estreito caminho entre o cinismo e a ingenuidade.

A Bacia das Almas

Onde as ideias não descansam

espiritualidade

drnerium

Just another WordPress.com site

Uma pausa para o café.

Porque precisamos de uma pausa.

jonasmadureiradotcom.wordpress.com/

"Quebre os grilhões da cela, mas não se assuste se o prisioneiro não sair, talvez a cela seja absurdamente confortável."

Reino & Sacerdote

Trabalhando para que a Igreja cresça e que o Reino avance!!! Ap 1.5,6

%d bloggers like this: