Misericódia X Graça


Misericórdia – essa palavra vem de outras duas palavras latinas. Miser, que significa miséria; e cor (cordis) que significa coração. Seria o sinônimo de compaixão pela miséria alheia. Melhor dizendo, Deus viu o miserável que somos. Uma boa definição seria dizer que o castigo que mereço, este não recebo!

Graça – favor imerecido. Somos salvos por ela mediante a fé. Efésios 2. 8-9 diz que isto não vem de nós, é dom de Deus. Uma outra boa explicação seria dizer que o favor que eu não mereço, este eu ganho!
Atualmente vivemos o que chamamos de “O Tempo da Graça”. Foi estabelecido após Jesus ter enviado o outro consolador – o Espírito Santo. Pois ele disse aos seus discípulos: “Eu vou mas não deixarei vocês orfãos, enviarei o outro consolador (Jo16: 7-15)”. . . “este convencerá vocês da justiça do pecado e do juízo” – sempre estamos querendo fazer este papel. Desde então estamos vivendo este gracioso tempo. O tempo que foi antes disso nós chamamos como Antigo ou Velho Testamento, também era chamado como o Tempo da Lei.
Mas agora deixe-me confrontá-lo um pouco. Preste a atenção.
Apesar de vivermos neste tempo – da graça -, digo que ainda não o entendemos para as nossas próprias vidas. Paulo, o apóstolo, por reconhecer a grandeza da graça, dá uma dica para o amigo Timóteo dizento que ele deveria fortificar-se, desenvolver-se na graça que está em Cristo Jesus (IITm2:1) – acredito que há um grande segredo neste único versículo (só o ES para nos contar) . Porém nós, que tanto falamos da salvação em Jesus, que entendemos não ser um mérito nosso, estamos todos os dias e em todo tempo só clamando a misericórdia de Deus para nossas vidas. É lógico que isso é necessário. Pois a bíblia diz que esta é a razão – causa – de nós não sermos consumidos. E que também as misericódias de Deus se renovam todas as manhãs (Lm 3:22-23; Sl106:1). Me parece que entendemos muito bem a misericódia. Mas qual a nossa compreenção em relação a outra atitude de Deus – a graça?
Entendendo isso, qual mudança deveria ocorrer em nós?
Em que mudaríamos?
Já que falamos tanto disso, também precisamos aprender sobre a graça de Deus. A bíblia conta que Jesus crescia em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens (Lc2:52). Ou seja, apesar de pedirmos para Deus a misericórdia, devemos crescer em graça.
Por acaso você já ouviu alguém clamando pela graça? Você já fez isso? Quantas vezes por dia você pede para Deus ter misericórdia? Quantas vezes você pede pela graça?
Vou explicar como isso funciona na prática e o porque disso.
É mais ou menos assim: o dia inteiro dizemos nos nossos pensamentos: “Deus, misericórdia por isso ou por aquilo que fiz, pensei, agi, falei, cometi, toquei etc.”
A misericórdia
procede do pecado.
Nós pecamos e clamamos por misericórdia. Meu Deus, MISERICÓRDIA. Hehe!
É assim que funciona. Explicando melhor ainda dizemos a seguinte frase: “Deus, não me castigue pelo mau que fiz! Não me tire o bom emprego, não me tire a namorada, o patrocínio de surf que o Senhor me deu, etc. E ainda se o mal cometido for muito grande dizemos: “Deus, não me mate.”
Dentro do plano de Deus para a humanidade a miseriricódia vem antes da graça. Mas o amor precede as duas coisas. Gostaria muito que Deus desse um entendimento maior para esta geração da igreja. Pois a graça nada tem a ver com merecimento. Nada tem a ver com preceitos. Nada tem a ver com a lei da linearidade – da causa e efeito. Mas pelo que tenho assistido nos programas evangélicos, ouvido através das rádios gospels, conversado com algumas pessoas, entendo que muitos estão pregando contra a graça.
Entendo que a graça é um dos maiores mistérios sobrenaturais para ser aprendido, afinal a graça não me parece nada comum ao ser humano. Tudo o que fazemos é por interesse ou merecimento. Não temos costume de presentear alguém que nunca nos deu um presente. E se o fazemos, esperamos ganhar alguma coisa no próximo aniversário. Convidamos para comer em nossas casas alguém que poderá nos retribuir lá na frente. Amamos os que nos amam. Frequentamos lugares que nos deixam confortáveis e felizes, mas não trabalhamos para melhorar a vida dos outros. Não damos esmolas, não visitamos doentes, não vamos a presídios, não gastamos tempo com quem não merece. MERECE! Cadê a graça.
Tenho pedido para Deus me dar um maior entendimento a respeito da verdadeira graça. Assim como e misericórdia procede do pecado, a graça funciona como força motivadora para não pecar.
Entenderam?
A GRAÇA FUNCIONA
COMO FORÇA MOTIVADORA
PARA NÃO PECAR!
Quando tenho um entendimento melhor da graça de Deus, ela me motiva para não fazer aquilo que seria um pecado (significado da palavra pecado: errar o alvo). Ou seja, o sentimento que tenho é de no mínimo “constrangimento”. A bíblia diz que o amor de Deus nos constrange. Mas a graça é algo maior ainda, pois a bíblia diz que mesmo assim, quando pecamos temos um advogado diante de Deus que é a propiciação (sacrifício) pelos nossos pecados e do mundo inteiro (IJo 2:1-2). Isto sim é demais!
Funciona assim: como se eu lhe fizesse algum favor que você não merecesse – de graça – e por este motivo você ficaria constrangido em me sacanear. Entender a graça é entender o amor de Deus. Entender apenas a misericórdia é como eu só dissesse: Deus não me machuque pelo que fiz, não me bata, não me castigue, não me mate. Eu ouvi uma simples, porém ótima ilustração numa pregação do Dr Russel Shedd que definiu muito bem a misericórdia e graça. A história é a seguinte:
Havia um filho cujo o pai tinha lhe deixado algumas regras ou ordens. Caso este filho desobedesse uma ordem específica, esta desobediância resultaria em uma punição. No caso específico, seria dez dias de castigo sem ver televisão. Pronto! O filho desobedeceu. Castigo nele.
Apesar de seu pai ter definido dez dias de castigo, ele aplica apenas cinco. Isto é misericórdia (o castigo que mereço, não o recebo). Além de amenizar o castigo seu pai o leva para passear e ainda lhe paga um belo sorvete. Isto é graça (o presente que não mereço, este eu recebo).
Resumindo a história:
Pela desobediência do homem a Deus há uma consequência: a separação de Deus (Rm 3: 23-24), que significa morte eterna. A bíblia fala que o pecado gera a morte. A bíblia também diz que as misericódias de Deus é a razão pela qual não somos consumidos. Mesmo sendo desobedientes Deus envia o seu Filho para ser punido em nosso lugar – morte na cruz. Ele pagou a nossa dívida porque nós não poderíamos pagá-la. Quando reconhecemos isto temos ainda a salvação para a vida eterna. Salvos pela graça – favor imerecido.
Enfim, ficar o dia inteiro pedindo para Deus não nos castigar (misericódia), para mim é no mínimo uma tradução do quanto temos andado errados, ou pelo menos, não feito o que deveríamos fazer.
Logo voltarei a escrever mais sobre este assunto.
Pois também estou aprendendo viver dentro desta revelação de Deus.
Valeu galera e boas ondas
Tropical

Ainda sem comentários.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Coletivo TraçaUrbana

o c o r p o e n t r e d o t e c i d o u r b a n o

De volta ao Manual

Pensamentos sobre o amor de Deus na vida cotidiana

projetosilva

Ukulele e Voz ,Letras Simples e Pensamentos Sinceros...

Don Charisma

because anything is possible with Charisma

Do Pensamento no Deserto

CRÔNICAS, ARTIGOS, ENTREVISTAS E IDÉIAS DE LUIZ FELIPE PONDÉ

Nelson Costa Jr.

" Ceci Est Un Dieu "

Marco Juric

Fotografia

Teologia Hermenêutica

Sobre os equívocos, exageros, métodos e possibilidades de interpretação teológica no pensamento cristão.

TROPICAL - AIRO

espiritualidade

Sandro Baggio

Trilhando o estreito caminho entre o cinismo e a ingenuidade.

A Bacia das Almas

Onde as ideias não descansam

espiritualidade

drnerium

Just another WordPress.com site

Uma pausa para o café.

Porque precisamos de uma pausa.

jonasmadureiradotcom.wordpress.com/

"Quebre os grilhões da cela, mas não se assuste se o prisioneiro não sair, talvez a cela seja absurdamente confortável."

Reino & Sacerdote

Trabalhando para que a Igreja cresça e que o Reino avance!!! Ap 1.5,6

%d bloggers like this: